Connect with us

Hi, what are you looking for?

Saúde

OMS diz que proteção de vacinas contra covid-19 é de seis meses

Estimativa foi feita com base em vários estudos

Pfizer diz que proteção contra Ômicron necessita de três doses. (Crédito: Acervo Tudo Pop)
Pfizer diz que proteção contra Ômicron necessita de três doses. (Crédito: Acervo Tudo Pop)

Estimativa foi feita com base em vários estudos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirma que a duração da imunização dada pelas vacinas contra a covid-19 é de seis meses. A estimativa foi por meio do cruzamento de vários estudos já realizados.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Kate o’bryan, especialista em vacinas da OMS, explica que a proteção de até seis meses não desaparece completamente depois desse período. Mas durante meio ano, o risco de doença grave, internação ou morte diminui drasticamente.

As informações de Kate foram dadas hoje (9), em entrevista coletiva.

Advertisement. Scroll to continue reading.

A OMS indica que o risco de infecção por covid-19 é baixo durante seis meses após a aplicação da vacina.

África
Em nota divulgada hoje, a organização informou que o número de casos de covid-19 na África quase duplicou em uma semana, mas salientou que “há sinais de esperança”, já que o número de hospitalizações se mantém baixo.

Advertisement. Scroll to continue reading.

A OMS adiantou que a investigação está sendo intensificada para determinar se a variante Ômicron é responsável pelo número de casos na África. Houve mais 107 mil casos na última semana, quase o dobro dos 55 mil da semana anterior.

“Cinco países representaram 86% dos casos da última semana, com a África Austral registrando a maior subida, de 140%, principalmente motivada pelo aumento na África do Sul”, acrescenta o comunicado.

Advertisement. Scroll to continue reading.

A OMS destaca, no entanto, que o aumento de casos não parece ter uma correspondência com o número de hospitalizações, o que permite antever que apesar de muito contagiosa, a variante Ômicron não é mais perigosa que as anteriores.

“Os dados que estamos recebendo da África do Sul indicam que a Ômicron pode causar uma doença menos severa”, já que o número de hospitalizações está em 6,3%, “o que é muito baixo comparado com o mesmo período, quando o país enfrentava o pico da variante. Delta, em julho”, diz a organização.

Advertisement. Scroll to continue reading.

O continente africano representa 46% dos quase mil casos de Ômicron registrados por 57 países em várias regiões do mundo, dez deles africanos.

(Fonte: Agência Brasil)

Advertisement. Scroll to continue reading.

Especial para você

Famosos

Influenciadora fez relato emocionado e contou como tudo aconteceu

Famosos

Ator falou sobre estado de saúde em comunicado nas redes

Música

Cantor mostrou vocais em dia e embalou público no Sertanejo Weekend

Famosos

Thales Bretas e cantor Silva estariam se conhecendo melhor

Música

Moda 'ousada' tomou Lollapalooza com looks transparentes e sensuais

Big Brother Brasil

Atriz também se revoltou com críticas que leu nas redes sociais

Mundo

Papa Francisco divulga mensagem pelo Dia Internacional da Fraternidade Humana

Esporte

Mateus, goleiro do Palmeiras campeão da Copinha, pode ir pro mundial

Advertisement