Connect with us

Hi, what are you looking for?

Netflix

Netflix exclui cenas de abuso com Klara Castanho em série

Klara interpreta uma jovem estuprada pelo pai em “Bom Dia Verônica”

Klara Kastanho e Reynaldo Gianecchini em cena de "Bom Dia, Verônica" (Divulgação/Netflix)
Klara Kastanho e Reynaldo Gianecchini em cena de "Bom Dia, Verônica" (Divulgação/Netflix)

Netflix tomou uma decisão importante sobre a segunda temporada da série Bom Dia, Verônica, que contará com Klara Castanho no papel de uma jovem estuprada pelo próprio pai, interpretado por Reynaldo Gianecchini.

Inédito, o trabalho foi gravado em setembro de 2021. A contratação entre Klara Castanho e Netflix foi firmada em julho do mesmo ano, ou seja, antes dela ter sido vítima do crime de violência sexual que tornou público no último final de semana.

Advertisement. Scroll to continue reading.

A plataforma de streaming convocou Klara para o papel de Ângela, menina abusada pelo pai, Matias, um líder religioso acima de qualquer suspeita. Ele é o grande vilão da série. O pastor abusa da mulher, Gisele (Camila Márdila), e da filha sem levantar nenhuma desconfiança em sua comunidade.

Nenhuma cena explícita foi gravada. No roteiro final, as sequências estão todas sugeridas. Segundo o Notícias da TV, o serviço de streaming está dando todo o apoio a Klara e vai ter ainda mais cuidado na edição das cenas que envolvam a filha abusada e o pai criminoso.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Na trama, Gisele descobrirá que Matias abusa das mulheres, inclusive da filha, no final da história, quando conseguirá a ajuda de Verônica (Tainá Müller), que reunirá provas depois de uma emboscada armada especialmente para o antagonista.

Klara Castanho relata episódio traumático
Em carta aberta, a jovem de 21 anos contou que engravidou após ser estuprada e entregou a criança para adoção: “Esse é o relato mais difícil da minha vida. Pensei que levaria essa dor e esse peso somente comigo”.

Advertisement. Scroll to continue reading.

“No entanto, não posso silenciar ao ver pessoas conspirando e criando versões sobre uma violência repulsiva e de um trauma que eu sofri. Eu fui estuprada”, expôs.

“O médico não teve nenhuma empatia por mim. Eu não era uma mulher que estava grávida por vontade e desejo, eu tinha sofrido uma violência”, revelou Klara. “E mesmo assim esse profissional me obrigou a ouvir o coração da criança, disse que 50% do DNA eram meus e que eu seria obrigada a amá-lo”, recordou.

Advertisement. Scroll to continue reading.

“A criança merece ser criada por uma família amorosa (…) ela não precisa saber que foi fruto de uma violência cruel”, defendeu.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Especial para você

Netflix

Filme estreia na Netflix; assista o trailer

Famosos

Klara Castanho teve liminar indeferida pela justiça do Rio de Janeiro

Netflix

'Kaos' deve abordar a mitologia grega com uma pitada de humor

Netflix

Série estreia nesta sexta (24) na plataforma

Cinema

"Persuasão" é baseado em livro da escritora Jane Austen

Netflix

História baseada no sucesso do cinema deve estrear ainda em 2022

Netflix

‘Halftime’ chega na plataforma nesta terça-feira (14)

Netflix

Série inspirada no sucesso do cinema estreia em 14 de julho

Advertisement