Connect with us

Hi, what are you looking for?

Atualidades

Fiocruz: aumento de casos e óbitos de covid-19 deve servir de alerta

fiocruz:-aumento-de-casos-e-obitos-de-covid-19-deve-servir-de-alerta

A pesquisa se refere ao período entre 8 e 21 de novembro

O aumento de casos e óbitos de covid-19 no Brasil entre 8 e 21 de novembro ainda não pode ser chamado de segunda onda, mas deve servir de alerta para reforçar o sistema de saúde, avalia o Boletim Observatório Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que foi atualizado ontem (26) com os dados das semanas epidemiológicas 46 e 47. O texto pede atenção na análise dos dados, já que as semanas estudadas sucedem um período em que houve defasagem nos registros, no contexto dos ataques cibernéticos sofridos por órgãos federais.

“Ainda não se pode afirmar que o Brasil vive uma segunda onda da pandemia, mas a inversão da tendência de redução desses indicadores [de casos e óbitos] deve servir como alerta para todo o sistema de saúde, no sentido de reforçar a infraestrutura hospitalar e intensificar ações de atenção primária integrada à vigilância”, afirma o boletim, que reitera a importância de combinar o distanciamento social à realização de testes para a identificação ativa de casos e contatos, com isolamento dos casos e quarentena dos contatos.

A Fiocruz avalia ainda que “a combinação dos problemas no fluxo de dados e o aumento súbito do número de casos deve ser tratada com bastante atenção, pois significa que no momento atual podemos ter um quadro de indicadores que efetivamente não reflete a realidade, agravado pela ausência de testes e de busca ativa de casos e contatos”.

Entre 8 e 21 de novembro, foi observada tendência de alta na incidência da doença nos estados do Amapá, Rio de Janeiro, de São Paulo, do Paraná e de Santa Catarina. Já o número de óbitos sofreu “aumento expressivo” em Roraima (+7,9%), Minas Gerais (+6,6%), no Rio de Janeiro (+10,1%), em São Paulo (+7,7%),  no Rio Grande do Sul (+5,2%) e em Goiás (+7,5%).

A Fiocruz aponta que a incidência de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no país voltou a crescer e “revela um quadro preocupante”. As taxas mais altas no período ocorreram em Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, no Distrito Federal, Paraná, em São Paulo e no Rio Grande do Sul.

Advertisement. Scroll to continue reading.

A ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva para covid-19, segundo o boletim, continuou em uma tendência de piora, com Amazonas (86%) e Espírito Santo (85,1%) na zona de alerta crítica. A situação piorou na Bahia (61,1%), em Minas Gerais (64,5%), no Rio de Janeiro (70%) e em Santa Catarina (78,1%), e esses estados voltaram para a zona crítica intermediária.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Mais notícias para você

Bombando

A atriz Camila Pitanga, a exemplo de vários famosos brasileiros, comemorou nas redes sociais o evento que fez o Brasil inteiro comentar neste domingo...

Atualidades

Após o Brasil inteiro acompanhar no fim de semana a aplicação da primeira dose de uma vacina para covid em solo brasileiro, realizada em...

Saúde

O Ministério da Saúde publicou, hoje (18), no Diário Oficial da União (DOU), a portaria instituindo a obrigatoriedade do registro de aplicação de vacinas...

Saúde

Os hospitais das Clínicas de Campinas, Botucatu, Ribeirão Preto e Marília e o Hospital de Base de São José do Rio Preto começaram a...

Bombando

A ex-modelo Cida Marques foi uma verdadeira musa nos anos 90. Além de capa da Playboy, a comparação de Cida à época com a...

Atualidades

A apresentadora Mara Maravilha encantou todos os fãs e seguidores com um lindo registro na última sexta-feira (15) feito na praia.Na foto compartilhada em...

Esporte

O documentário “A Última Dança”, disponível na plataforma Netflix, conta os bastidores da temporada final de Michael Jordan no Chicago Bulls e a busca pelo...

Cinema

O astro do cinema Tom Cruise é o produtor e estrela principal da franquia “Missão: Impossível”, uma das mais rentáveis do cinema. O ator,...

Advertisement