Alcolumbre estima melhoras a Bolsonaro e pede respeito à vida

Presidente do Senado divulgou nota na manhã desta quarta-feira (8)

Karine Melo – Repórter da Agência Brasil - Brasília Publicado quarta 8 julho, 2020

Presidente do Senado divulgou nota na manhã desta quarta-feira (8)
Davi Alcolumbre enviou mensagem de melhoras ao presidente Jair Bolsonaro - Reprodução Instagram
Gostou dessa? Clica aqui

Um dia depois de o presidente da República Jair Bolsonaro anunciar que está com covid-19, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, divulgou nota oficial em que deseja que a saúde do presidente "esteja logo e prontamente restabelecida". Alcolumbre também repudiou o artigo publicado do jornal Folha de S.Paulo, intitulado Por que torço para que Bolsonaro morra.

"Sou judeu e carrego comigo a dor da intolerância religiosa e sempre busco me posicionar de maneira firme no combate a toda e qualquer discriminação e, principalmente, contra atitudes raivosas, cheias de ódio e desprovidas de humanidade. O respeito à vida deve vir acima de qualquer questão, seja ela política, ideológica ou de qualquer ordem", diz a nota.

O presidente do Senado lembrou ainda que por causa da pandemia do novo coronavírus o Brasil "já perdeu vidas demais, já sofremos demais e essas perdas são irreparáveis". Segundo Alcolumbre o momento deve ser de união: "precisamos mais do que nunca combater o ódio e direcionar nossos pensamentos e ações para o que temos de melhor como brasileiros que somos: a empatia e a solidariedade".

Ontem, depois do anúncio do resultado do teste de Bolsonaro, várias autoridades manifestaram desejo de melhoras ao chefe do Executivo. Os presidentes do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, também adotaram tom conciliador e condenaram os discursos de ódio e intolerância nesse momento.

View this post on Instagram

O Presidente @jairmessiasbolsonaro confirmou, nesta terça-feira (07), que testou positivo para Covid-19. Em nome do Parlamento, estimo que sua saúde esteja logo e prontamente restabelecida. Ao mesmo tempo, registro minha indignação, como homem público e cidadão, com o lamentável artigo publicado no jornal Folha de São Paulo, assinado pelo jornalista Hélio Schwartsman, intitulado: “Por que torço para que Bolsonaro morra”. Sou judeu e carrego comigo a dor da intolerância religiosa e sempre busco me posicionar de maneira firme no combate a toda e qualquer discriminação e, principalmente, contra atitudes raivosas, cheias de ódio e desprovidas de humanidade. O respeito à vida deve vir acima de qualquer questão, seja ela política, ideológica ou de qualquer ordem. O Brasil já perdeu vidas demais, já sofremos demais e essas perdas são irreparáveis. Logo, em um momento de tamanho sofrimento, precisamos mais do que nunca combater o ódio e direcionar nossos pensamentos e ações para o que temos de melhor como brasileiros que somos: a empatia e a solidariedade. Ainda que haja discordâncias, faculdade admissível nós regimes democráticos, precisamos caminhar de mãos dadas com o respeito às instituições e às autoridades constituídas. Não há "consequencialismo" que deseje a morte de alguém como saída política para uma pandemia sanitária. O único extermínio que se quer, e pelo qual devemos torcer, é o do vírus. Somente o fim do coronavírus pode impedir que o Brasil chore tantas perdas e a tragédia de tantas mortes.

A post shared by Davi Alcolumbre (@davialcolumbre) on

Último acesso: 15 Aug 2020 - 05:07:22 (1052591).