Connect with us

Hi, what are you looking for?

Saúde

Transplantes de fígado e rim no DF crescem em 2020, apesar da pandemia

transplantes-de-figado-e-rim-no-df-crescem-em-2020,-apesar-da-pandemia

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus (covid-19) e a reorganização do sistema de saúde, no Distrito Federal cresceram os transplantes de fígado e de rim. No caso de outros órgãos, houve queda nos procedimentos.

Foram realizados 100 transplantes de fígado em 2020 – em 2019 foram 92 – e os de rim foram 80 – em 2019 foram 78.

Já os transplantes de coração caíram de 29 para 22 e os de córnea sofreram uma redução de 408 para 221 em 2020.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Ao longo de 2020, houve um foco das autoridades de saúde em organizar os sistemas de atendimento para atender a demanda de casos e de tratamento de pessoas com a covid-19, o que impactou outras áreas e procedimentos.

Segundo a chefe do Núcleo de Distribuição de Órgãos e Tecidos da Central de Transplantes do DF, Ludmila Santos Lamounier, nesse cenário de pandemia foi um feito importante o aumento dos transplantes de fígado e rim.

Ela credita o aumento de transplantes à continuidade do trabalho da central e de seus profissionais. “Apesar da pandemia, que restringiu um pouco, foi positivo. Isso também considerando que doadores e receptores com a covid-19 não podiam fazer o transplante. Mas mesmo assim conseguiu aumentar o número”, disse Ludmila.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Para além da restrição de pessoas com a covid-19, houve outros impactos nas cirurgias de transplantes. Em razão da pandemia, algumas equipes deixaram de ir buscar órgãos fora do Distrito Federal, ficando apenas com a oferta local de órgãos doados.

No caso do transplante de córnea, o fato da operação não ser de emergência fez com que houvesse uma diminuição maior do número de procedimentos. Diferentemente dos demais, em que os órgãos precisam ser repassados logo após uma morte encefálica, no transplante de córnea a operação pode ser agendada e adiada.

Ludimila Lamounier disse que, diferentemente de outras áreas, na Central de Transplantes do DF não houve deslocamento de profissionais para reforçar as equipes de atendimento de outras unidades para ajudar no tratamento contra a covid-19.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Para este ano, a perspectiva, segundo a chefe do Núcleo da Central de Transplantes do DF é um novo aumento, mesmo diante da permanência da pandemia. “Um dos desafios é o trabalho da campanha de doação de órgãos. Outro é a manutenção do trabalho junto com a Central Nacional de Transplantes e os hospitais transplantadores”, ressalta.

Written By

Você também vai gostar disso

Atualidades

Agentes da Coordenadoria de Fiscalização de Estacionamento e Reboque flagraram uma festa de swing realizada a céu aberto

Famosos

Ex-mulher de Carlos Alberto de Nóbrega revelou que a depressão é uma luta silenciosa e muitas vezes incompreendida por quem não sofre

Famosos

O marido da atriz Glória Pires recebeu alta de hospital onde se internou para tratar da covid em Brasília.

Famosos

O ator Tony Ramos recebeu a primeira dose da vacina contra a covid neste sábado (27) em um posto de vacinação no Rio de...

Saúde

O Instituto Butantan anunciou na manhã desta sexta (26) que vai fabricar a primeira vacina 100% brasileira contra a covid-19

Famosos

Orlando Morais, marido da atriz Glória Pires, usou as redes sociais para informar que está internado com covid em um hospital de Brasília

Famosos

O ator e diretor Paulo Gustavo foi intubado após apresentar piora a covid. Ele está internado em um hospital do Rio de Janeiro.

Big Brother Brasil

Sarah revelou, durante a festa do líder no BBB 21, que furou a quarentena e foi para festas durante a pandemia

Advertisement

Copyright © 2021 TudoPop.