Connect with us

Hi, what are you looking for?

Saúde

Saúde suplementar encerra dezembro com 47,6 milhões de usuários

saude-suplementar-encerra-dezembro-com-47,6-milhoes-de-usuarios

O setor de saúde suplementar encerrou o mês de dezembro de 2020 com 47,6 milhões de beneficiários de planos de assistência médica atendidos durante a pandemia do novo coronavírus (covid-19). Nesse mês, havia 707 operadoras de assistência médico hospitalar ativas e com beneficiários no país. 

De acordo com o Boletim Covid-19, divulgado hoje (19) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), foi registrado aumento de mais de 560 mil usuários em dezembro, em relação a igual mês de 2019 (1,18%), e de 178,9 mil (0,4%) em relação a novembro de 2020.

O boletim revela que de março a dezembro do ano passado esse aumento ocorreu em todas as modalidades de contratação de plano. O maior percentual foi nos planos coletivos por adesão (2% a mais em relação a março). A taxa de crescimento do número de beneficiários idosos (acima de 59 anos) se manteve positiva entre os planos coletivos, com destaque para planos coletivos empresariais, em que o aumento atingiu 2,82%. Já no caso dos beneficiários da faixa etária até 59 anos, foi observada a primeira variação positiva (0,14%) nos planos individuais desde julho, sinaliza o documento.

Em dezembro, a taxa de ocupação geral de leitos (com e sem UTI) nos hospitais da amostra, destinados para o atendimento à covid-19 e para demais procedimentos não relacionados à doença, ficou em 68%, mantendo-se praticamente a mesma observada no mês anterior e, pela primeira vez em 2020, mostrou-se acima do observado para o mesmo mês em 2019 (67%). Já a taxa mensal de ocupação dos leitos (comum e UTI) para covid-19 aumentou de 63%, em novembro, para 67% em dezembro, enquanto a taxa de ocupação de leitos para os demais procedimentos, que foi de 71% em novembro, caiu para 68% em dezembro.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Atendimentos

A quantidade de consultas em pronto-socorro que não geraram internações continua apresentando retomada gradual. Em dezembro, houve um crescimento de 4,9% em relação ao mês anterior, mesmo assim, ainda abaixo do observado antes do início da pandemia. De abril para maio de 2020, a taxa de consultas em pronto-socorro, sem internações, aumentou 5,7%.

A busca por atendimentos de Serviços de Apoio Diagnóstico Terapêutico (SADT) teve redução de 15% em dezembro, em comparação ao mês anterior, explicada pela baixa sazonalidade histórica no período. A procura pelos SADT permite avaliar a tendência quanto à utilização de procedimentos eletivos fora do ambiente hospitalar, esclareceu a ANS. Entretanto, na comparação com o mesmo período de 2019, as autorizações para SADT apresentaram aumento de 9,2%.

O boletim da ANS contém informações sobre a realização de exames coletados até outubro e tem como fonte os dados do Padrão TISS (Troca de Informação de Saúde Suplementar). Nesse mês, foram contabilizados 161.811 exames para detecção da covid-19 do tipo Pesquisa de RT-PCR e 41.337 testes do tipo sorológico. Desde o início da pandemia, foram realizados 1.756.430 exames do tipo RT-PCR e 235.216 sorológicos na saúde suplementar. 

A ANS advertiu que os números de outubro ainda sofrerão alteração à medida que as cobranças forem encaminhadas dos prestadores de serviços às operadoras e, posteriormente, para a agência.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Despesas

Em dezembro, houve aumento das despesas assistenciais superior ao aumento dos valores pagos pelos beneficiários relativos às contraprestações, ou mensalidades, em relação com novembro. A consequência foi o aumento do índice de sinistralidade nesse mês (80%), compatível, embora ligeiramente superior, ao nível histórico para o 4º trimestre, ao se comparar com os indicadores trimestrais dos últimos anos.

Os percentuais de inadimplência tanto para planos individuais/familiares quanto para coletivos também se mantêm próximos do nível histórico, porém ainda um pouco abaixo da média. O percentual geral ficou em 6%, mesmo patamar registrado em novembro, o menor valor da série observada. Quando analisado por tipo de contratação do plano, o indicador teve aumento de um ponto percentual em ambas as modalidades, passando de 9% em novembro para 10% em dezembro nos individuais ou familiares e de 4% para 5% nos planos coletivos.

Reclamações

O número de reclamações englobando todos os temas caiu 15,2% em dezembro, em comparação a novembro, somando 11.329 demandas, mas subiu 2,3% em comparação a dezembro de 2019. Por outro lado, as queixas relacionadas especificamente à covid-19 subiram 0,7% em relação a novembro, com registro de 1.173 demandas.

Do total de reclamações sobre covid-19 registradas em dezembro, 74% estão relacionadas a dificuldades quanto à realização de exames e tratamento; 16% se referem a outras assistências afetadas pela pandemia; e 10% são reclamações sobre temas não assistenciais (contratos e regulamentos, por exemplo). De março até dezembro, foram registradas 16.174 reclamações e 19.536 pedidos de informações sobre covid-19. 

Advertisement. Scroll to continue reading.

A ANS deixou claro que essa classificação considera o relato do consumidor ao cadastrar sua demanda na agência, sem análise de mérito sobre eventual infração da operadora ou da administradora de benefícios à Lei 9.656/98 e seus normativos ou aos termos contratuais.

A mediação de conflitos realizada através da Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), conforme previsto na Resolução Normativa nº 388/2015, permite que as operadoras reparem sua conduta irregular e resolvam os problemas dos beneficiários, evitando abertura de processo administrativo e judicial. 

No período de março a outubro do ano passado, a NIP alcançou 93,3% de resolutividade, considerando todas as demandas cadastradas na ANS que foram passíveis de mediação, e 91% de resolutividade considerando somente as demandas relacionadas à covid-19. O percentual de resolução das reclamações relativas aos testes para detecção da covid-19 ficou em 92,3% para os exames de RT-PCR e 91,9% para os exames sorológicos. A ANS informou que a maioria das reclamações apresentadas foi solucionada no âmbito da mediação promovida pela agência.

A elaboração do boletim considerou informações coletadas junto a uma amostra de 50 operadoras com rede própria hospitalar para a análise dos indicadores assistenciais; já para os índices econômico-financeiros, foram analisados dados de 97 operadoras para o estudo de fluxo de caixa e 96 para análise de inadimplência. Juntas, as operadoras que responderam para esses grupos de informação compreendem 74% dos beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares no país.

Advertisement. Scroll to continue reading.

(Agência Brasil)

Mais notícias para você

Big Brother Brasil

A festa da líder Sarah no BBB 21 desta segunda (22) teve um momento de susto para todos: os brothers da festa, os telespectadores...

Famosos

A cantora Simone, da dupla com Simaria, deu à luz ao seu segundo filho, desta vez uma menina chamada Zaya na noite de segunda-feira (22). Zaya é...

Big Brother Brasil

A líder Sarah deixou escapar uma impressão pessoal sobre uma sister do BBB 21. Enquanto conversava com Gil e Juliette no quarto do líder,...

Big Brother Brasil

O BBB 21 já tem o “vilão preferido” do público. A cantora Karol Conká coleciona confusões desde que entrou na casa e está no...

Big Brother Brasil

O deputado federal Túlio Gadelha, mais conhecido por muitos internautas como “o namorado de Fátima Bernardes”, gerou revolta em alguns destes após dar uma...

Famosos

Atriz pretende reunir poucos amigos, todos testados, em sítio onde está isolada com a família A atriz Regina Casé está feliz e pronta para...

Big Brother Brasil

O BBB 21 quebrou mais um recorde na noite desta terça-feira (23). A sister Karol Conká saiu com uma votação recorde de 99,17% dos...

Saúde

Vacina que ainda não foi comprada pelo governo é a primeira a conseguir esse tipo de registro no país A Anvisa aprovou a vacina...

Advertisement