Sem experiência, afilhada de ministro ganha cargo em Brasília

Pedagoga Gabriela Carvalhedo Barros foi nomeada para cargo de gestão de pessoas com salário de mais de 10 mil

Bruno Silva Publicado segunda 18 maio, 2020

Pedagoga Gabriela Carvalhedo Barros foi nomeada para cargo de gestão de pessoas com salário de mais de 10 mil
Gabriela Carvalhedo Barros foi nomeada para cargo no Ministério da Educação - Reprodução
Gostou dessa? Clica aqui

Uma nomeação feita na última sexta-feira (15) no Ministério da Educação provovou repercussão no meio. A pedagoga Gabriela Carvalhedo Barros foi promovida para um cargo de gestão de pessoas na Diretoria de Administração do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O sálário da função é de aproximadamente 10,3 mil reais e cuida diretamente de contratos milionários do Ministério.

A nomeação foi feito pelo Secretário Executivo do Ministério. A nova Coordenadora Geral de Pessoas e Organizações substituiu Edilene Vasconcelos Chaves, que acumulava anos de experiência e serviços prestados no MEC. Antes de assumir a nova função Gabriela preparou-se para o novo desafio quando se matriculou em um curso de pós-graduação à distância em gestão. Antes disso, ela atuou como professora do Ensino Fundamental em colégio infantil. Em 2018, Gabriela foi secretária na assessoria do gabinete do ministro da Educação e lidava com a agenda de compromissos e passagens para a quipe de Mendonça Filho, do DEM. No ano passado, tornou-se analista administrativo: profissional que supervisiona denúncias registradas na Ouvidora do FNDE.

A nomeção gerou repercussão e insatisfação de servidores ligados ao órgão. O primeiro motivo é a ligação de Gabriela com pessoas próximas ao Ministro da Edução, Abraham Weintraub, como o assessos especial do Ministro, Auro Hadano Tanaka, com Gabriela já tem contat frequente há pelo menos um ano. O segundo motivo e que pessoas da área apontam estar ligado diretamente ao primeiro, é a falta de credenciais de Gabriela e experiência de atuação no campo em que foi nomeada.

Procurado, o Ministério respondeu que a nomeação de Gabriela seguiu critérios técnicos.

Último acesso: 06 Jun 2020 - 11:12:26 (1052155).